O sono dos 3 aos 6 anos

Fonte: alto astral

Desenvolvimento Infantil/Relatórios
0 Comments

O sono dos 3 aos 6 anos

Já reparou que passamos aproximadamente um terço de suas vidas dormindo? Quando criança o sono é ainda mais importante pois ele é essencial para o desenvolvimento infantil.

Para dormir bem devemos oferecer um ambiente acolhedor para que a criança aprenda a dormir o mais precocemente possível, porque dormir é um aprendizado. Um ambiente livre de ruídos e luzes costuma propiciar bons momentos de sono.

O recém-nascido exposto à televisão, normalmente é mais irritadiço e tem o sono muito mais leve. Desde cedo devemos oferecer à criança a noção de ritmo e de rotina. Isto a ajudará na tarefa de aprender a dormir.

À medida que a criança cresce, ela vai ficando mais resistente e começa a travar uma luta contra o sono. A soneca da tarde já não é mais vista pela criança como necessária, mas como uma perda de tempo, pois pode significar a interrupção de uma brincadeira.

No entanto, entre os 3 e os 5 anos, a criança ainda necessita de uma soneca, que acontece, normalmente, no período da tarde. Aos 6 anos, muitos não sentem mais a necessidade da soneca e, normalmente, nesta etapa do desenvolvimento, o ciclo de sono noturno já corresponde a um período de 10 a 11 horas ininterruptas.

É importante destacar que, cada vez mais os estudos na área do sono vêm mostrando que a privação do sono pode gerar grandes consequências importantes para o indivíduo, como por exemplo, o atraso no crescimento, a obesidade e a irritabilidade.

Olhar atento para o sono da criança

Esta atenção deve se estender, inclusive às instituições de educação (creches e escolas de educação infantil), afinal, muitas crianças iniciam sua vida escolar com 3 anos de idade (ou menos), e deve ficar estabelecido, em cada instituição, uma rotina que inclua a hora do descanso. O importante é que todas tirem uma soneca.

Algumas instituições têm salas próprias para a hora do descanso, com, por exemplo, um colchonete para cada criança. Isto é o ideal e um grande facilitador do sono, pois o ambiente estimula a criança a dormir. A criança que se familiariza com a rotina do momento do descanso, tem seu sono mais tranquilo.

Outro fator que pode facilitar esta rotina na escola é o conhecimento acerca dos hábitos de sono da criança em casa. Estas informações podem ser colhidas, por professores e gestores educacionais, quando da chegada da criança à escola, com a ajuda dos pais ou dos responsáveis pela criança.

5 Dicas para facilitar o sono na Escola

Para facilitar esse momento de descanso na escola, o educador pode criar algumas rotinas que levem a criança a ser menos resistente ao sono, como, por exemplo:

  • Contar histórias.
  • Deixar que a criança manuseie livros.
  • Colocar uma música suave.
  • Convidar todas as crianças para a soneca.
  • Proporcionar brincadeiras mais calmas

Gostou? Então fique ligado para o próximo post.

Quer saber mais sobre esse tema? Clique aqui e conheça mais sobre o Projeto Pela Primeira Infância.

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

Texto elaborado a partir do material produzido pelo Projeto Pela Primeira Infância. Clique e conheça mais sobre o Projeto Pela Primeira Infância– Programa de Formação em Desenvolvimento Cognitivo Infantil com base nas Neurociências, para profissionais da Educação Infantil

7 Dicas para ajudar a criança a se alimentar corretamente

Fonte: Jornal nossa gente

Registros/Relatórios
0 Comments

7 Dicas para ajudar a criança a se alimentar corretamente

Estudos revelam as fortes influências da má nutrição sobre o desenvolvimento da criança.
Há uma correlação entre os níveis baixos de inteligência e a subnutrição no útero materno, e a continuidade disto durante a primeira infância. Por outro lado, os efeitos de uma boa nutrição e o desenvolvimento inicial do cérebro acabam levando os pais a pressionarem a criança na hora das refeições.

Este comportamento pode desencadear uma fadiga emocional importante na criança, pois para comer é necessário ter fome e prazer. Devido à pressão a que a criança é submetida, ela pode acabar perdendo o prazer de comer, começando a sua resistência para se alimentar.

Diante dessas informações podemos verificar como uma alimentação correta é importante, não é verdade?

Para te ajudar nessa tarefa separamos 7 dicas valiosas para ajudar a criança a se alimentar corretamente:

#Dica 1

Procure fazer as refeições no mesmo horário todos os dias.

#Dica 2 

Não dê comida fora do horário habitual, isto vai interferir no apetite dela.

 #Dica 3 

Não force a criança a comer. Se ela ficar com fome, na próxima refeição vai se alimentar corretamente.

#Dica 4

Deixe a criança comer com as próprias mãos, ela vai se diver r e treinar a habilidade motora. Deixe que ela manipule os alimentos.

#Dica 5

Nada de recompensas. Prometer sobremesas em troca da refeição acentua o desprezo pela comida.

 #Dica 6

Aviãozinho sim, mimo não! A hora da refeição não é momento para mimar a criança. Ela precisa saber que tem que se alimentar porque está com fome.

#Dica 7

É necessário dar o exemplo para a criança. Não adianta querer dar espinafre para a criança enquanto se está comendo um hambúrguer na frente dela.

Leia mais em Tudo sobre alimentação de 0 a 3 anos

Gostou?

Fique ligado! Continuaremos a falar mais sobre esse tema no próximo post.

Quer saber mais sobre esse tema? Clique aqui e conheça mais sobre o Projeto Pela Primeira Infância.

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

Texto elaborado a partir do material produzido pelo Projeto Pela Primeira Infância. Clique e conheça mais sobre o Projeto Pela Primeira Infância– Programa de Formação em Desenvolvimento Cognitivo Infantil com base nas Neurociências, para profissionais da Educação Infantil

Robótica na Educação Infantil
Registros/Práticas inovadoras
0 Comments

Robótica na Educação Infantil

Você acha provável ensinar robótica às crianças? O que será que elas podem aprender construindo robôs?

Foi com essas duas perguntas que comecei meu papo infinito com a Lana Nárcia. Fiquei tão empolgada com o assunto e as possibilidades que decidi compartilhar, aqui com vocês, sobre como a Lana tem usado a robótica na educação infantil e como os resultados podem ser surpreendentes no campo da lógica e no desenvolvimento de diversas linguagens para as crianças.

A professora

Fonte: Espaço da Robótica

A Lana é uma professora empreendedora de Brasília formada em Geografia e com um MBA em Geoprocessamento. Foi pioneira na implementação da disciplina de Astronomia e Astronáutica em uma escola do DF e foi a partir desse trabalho que descobriu sua grande paixão pela robótica. Foi natural ir deixando de lado a geografia e ir se enveredando na robótica e unindo sua paixão com a profissão. O início dessa história foi lá em 2010/2011 e hoje, cerca de 6 anos depois, ela criou o Espaço da Robótica para dividir com crianças de 3 a 14 anos.

Na sala de aula

Como sua formação é em geografia é por aí que a professora Lana puxa seu bonde. Ela sempre trabalha com projetos em sala de aula e o recorte vai costurando a geografia e a robótica até chegar em um assunto que interessa aos alunos.

O Espaço da Robótica possui um programa diferenciado de ensino, baseado em projetos mecatrônicos que integram eletrônica e informática de maneira divertida, experiencial e prática. Visando a um contato mais rico entre o professor e o aluno, o curso está estruturado em turmas reduzidas, de até 6 estudantes.

Fonte: Espaço da robótica

Incorporando a tecnologia às aulas, a prática pedagógica do Espaço procura despertar o interesse para a ciência em seus estudantes. A ciência é uma maneira de pensar, e seus métodos podem ser aplicados com sucesso aos mais variados contextos da vida. Assim, ao incentivar a excelência cognitiva o uso de robótica acaba contribui para o crescimento cultural, moral e social das crianças.

A Lana respondeu algumas perguntas para o #Naescola.

Vem conferir:

Como é a dinâmica da sua sala de aula?

A minha sala de aula é um pouco diferente porque não temos 50 minutos de aula. Trabalho com turmas heterogêneas com cerca de 2 horas de duração cada aula. Faço um planejamento prévio em casa, mas o que vale mesmo é o que surge ali na hora- da curiosidade das crianças. Geralmente eu provoco a turma perguntando se eles tem alguma curiosidade. Se sim, a gente vai encaixando no planejamento e se não eu geralmente começo falando sobre o Sistema Solar; depois Marte; depois robôs em Marte e o por aí vai… a gente começa um processo de investigação junto com as crianças. “Será que tem água em Marte?” Será que chove?” “Qual a idade de Marte?”

As crianças naturalmente viajam muito, as cabeças já estão lá na lua! O maior esforço é o meu de querer acompanhá-las.

 3 passos durante a aula:

  1. Investigação: perguntas, questionamentos e mediação.
  2. A Turma: geralmente a turma tem no máximo 6 crianças e são divididas em trios para formar duas equipes.
  3. A Equipe: sempre será composta por 3 perfis: o construtor; o programador e o coordenador. Quando a professora Lana ainda não conhece a equipe ela distribui os papéis e analisa como cada criança se saiu na tarefa.

 O que é robótica?

A robótica para mim é uma tecnologia onde as crianças aprendem com prazer. Funcionou para mim assim e hoje o que eu faço é refletir meu sentimento em sala de aula. Criar esse espaço foi a realização de um sonho e me sinto muito útil trabalhando e despertando crianças que precisam de atenção e de pensar fora da caixa.

Aqui criamos tudo que precisamos, desde bonecos com copos reciclados que eles trazem na hora do lanche até o dia da criatividade, o dia da comunicação e o dia da emoção.

Quais são os benefícios da robótica?

Já temos resultados surpreendentes sobre a possibilidade de ensino de programação e desenvolvimento das diversas linguagens para crianças.

Mas o que vejo aqui na minha sala de aula são esses três:

#1  Interação socioemocional: Falo para meus alunos que se a gente não trabalhar juntos não chegaremos a lugar algum. O objetivo é de todo o grupo e precisamos aprender a lidar com as nossas emoções acima de tudo isso pois precisamos chegar ao objetivo.

#2 Raciocínio Lógico: Cada criança tem seu jeito de pensar e o lógico para mim pode não ser lógico para o outro e por isso que é tão mágico desenvolver o raciocínio lógico ainda na primeira infância sem tantas amarras.

#3 Multi e interdisciplinaridade: é muito importante para mim quando vejo as crianças  atribuído múltiplos significados para os objetos construídos. Por isso digo que aqui as aulas são multi e interdisciplinar. Os temas e as construções navegam na realidade de cada aluno e exploram suas histórias de vida e hipóteses e é dessa maneira que criamos nossa história e aprendizado.

Para saber mais acesse o https://www.espacodarobotica.com.br/

“A ciência é um intento, em grande medida obtido, de entender o mundo, de conseguir um controle das coisas, de alcançar o domínio de nós mesmos, de nos dirigir para um caminho seguro. ”

Carl Sagan

 

Gostou?

Que tal fazer um plano de aula mais  “automatizado e robótico” na plataforma eduqa.me?

Tenho certeza que você vai se amarrar.

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

Deborah Calácia para a Eduqa.me. Deborah é linguista e especialista em tecnologia e educação – Universidade de Brasília.