Olá Professor!

Bem-vindo a mais uma reflexão que envolve a arte de ensinar.

turma antiga

Hoje, convido-o a fazer uma viagem no tempo e resgatar as lembranças do aluno que já foi um dia.

Estamos sempre preocupados em como ensinar, em estudar o desenvolvimento humano e perceber como se dá o processo de ensino-aprendizagem, entretanto, quantas vezes nesta caminhada pela educação, pensamos no aluno que fomos?

Assim, sugere-se que antes de escutar ou ler teorias que falam a respeito de como é um aluno, uma criança ou um adolescente, possamos nos lembrar de como éramos, já que passamos por todas estas fases. Tente resgatar estes momentos!

Quais eram os seus medos, seus anseios? que professores marcaram a sua vida e por que marcaram? O que gostava de ouvir dos seus professores? e o que não gostava? Como você era quando adolescente?

Quantas vezes fazemos isso? Quantas vezes parecemos explorar o universo dos alunos como se nunca estivéssemos lá?

Um dos caminhos para ser um bom professor é fazer reflexões que nos coloquem numa situação de empatia com aquilo que se quer conhecer ou entender melhor.

Muitos colegas que conseguem fazer esta viagem no tempo, ficam surpresos com as próprias atitudes, e é isto mesmo que se quer aqui… surpreender-se, reconhecer e refletir sobre a sua própria postura como professor.

Para compreender a relação professor-aluno temos que pensar sempre nestes papeis e ao máximo possível revisitar estes lugares que já foram vividos por nós.

O significado desta relação que é construída ao longo da vida do aluno e no dia-a-dia do professor é extremamente precioso. O professor desempenha um papel de valor imensurável para um aluno e para a educação como um todo; por isso, é válido entender que, mesmo sem saber, um professor pode ter influenciado um aluno, seja na escolha da profissão, como foi o meu caso, seja para a vida, como pessoa.

alunos em sala

Tenha certeza professor, que ao lecionar você planta muitas sementes de sabedoria, respeito, admiração, entre outras. Mesmo não vendo seu jardim florescer, saiba que conseguiu algumas boas flores, bonitas e exóticas, o suficiente para lhe manter firme, aceso, em sua missão de ensinar.

Obrigada a todos os meus grandes mestres pelos ensinamentos, pelos momentos de diversão e de trabalho que me proporcionaram. Espero que este texto valha como reflexão, inspiração e coragem para que você professor, possa fazer sempre o melhor possível como educador.

Referência Bibliográfica:

DUQUE, L. F. A aula da xícara: uma experiência sobre a relação professor-aluno. São Paulo: Lura Editorial, 2015.

eduqame

Quer fazer uma semanário prático e eficaz?

Na Eduqa.me você consegue fazer planos da rotina da semana, registro de atividades, perfil das crianças, relatórios e compartilhamento com a família.
Tudo em um único lugar!

Texto: Luciana Fernandes Duque para a Eduqa.me. Luciana doutoranda em Educação Especial – Faculdade de Motricidade Humana pela Universidade de Lisboa – Portugal, Mestre em Educação – Distúrbios do Desenvolvimento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Psicopedagoga Clínica e Pedagoga com vasta experiência Educação Inclusiva. É autora de dois livros, um sobre inclusão escolar e outro sobre relação professor aluno. É responsável pela fanpageLuciana F Duque Psicopedagogia e Inclusão.


Comentários no Facebook