OBSERVAR, REGISTRAR E A REFLETIR: DOCUMENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Fonte: Disney Babel

Rotina pedagógica
0 Comments

OBSERVAR, REGISTRAR E A REFLETIR: DOCUMENTAÇÃO PEDAGÓGICA

A principal prática do professor em sala é registrar. Mas para que ele faça essa prática há um trabalho imenso por trás.

Previa da sala de aula

Anteriormente é preciso que ele faça o planejamento. Crie ou se inspire em atividades com objetivos e estratégias para desenvolver as ações educativas dentro da Escola.

A documentação pedagógica, neste contexto, configura-se a estratégia de investigação que dá voz à infância. Possibilita a visualização dos processos de construção da aprendizagem, das experiências individuais e de grupo, por meio da observação e registros constantes da prática em sala de aula.

A atividade de documentar as ações educativas dá suporte e organiza a prática, de modo a suprir as necessidades do professor de tornar possível o diálogo entre a teoria e a prática, humanizar a aprendizagem, compreender melhor a cultura da infância, tornando o conhecimento significativo para os alunos.

A documentação pedagógica é elaborada das informações registradas com intuito de instigar e provocar o educador. Fotos, filmes, gravações, desenhos… Conteúdos que tornam evidente a aprendizagem.

Mas, como pensar esse documento?

 

Como comunicar? Para quem comunicar? Como estabelecer o diálogo entre a teoria e a prática? Como pode favorecer a aprendizagem da criança e a organização do ensino?

Essas e outras perguntas você deve se fazer antes de anotar por anotar.

Tudo que for escrito, registrado, catalogado, deve ter um porque.

Para te ajudar nessa tarefa a Eduqa.me criou ou área de planejamento que te pergunta passo a passo as informações da sua aula.

Veja na imagem abaixo:

Ao preencher essas informações você já está planejando e organizando seu pensamento.

Depois de criar a aula é hora de ir para a sala de aula e observar.

Veja como fica sua atividade na linha do tempo e como e como, com apenas um clique, você adiciona o registro:

Gostou?

Quer saber mais sobre esse tema? Clique conheça mais sobre a Eduqa.me.

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

 

Deborah Calácia para a Eduqa.me. Deborah é linguista e especialista em tecnologia e educação – Universidade de Brasília.

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO

Fonte: Standard Forsuccess

Relatórios/Rotina pedagógica
0 Comments

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO

Em posts anteriores, trabalhamos assuntos e tópicos importantes para a prática do professor.

Falamos sobre a importância da observação, do registro, da reflexão e em alguns momentos abordamos a avaliação, mas não com a atenção que se deve.

Em todos os segmentos que compõem a escola, a avaliação se faz presente. É a partir dela que as transformações dentro da Instituição acontece de maneira a garantir uma aprendizagem cada vez mais significativa.

Leia mais em: 5 Passos para uma avaliação formativa de qualidade.

Toda avaliação deve considerar o processo de ensino e aprendizagem ocorrido, as estratégias e as situações utilizadas em sala de aula para contemplar tal processo.

A Prática Avaliativa

A organização de uma reunião de pais, relatórios e portfólios, são importantes ferramentas avaliativas, que vão além da preocupação com pauta e produção de texto.

Educadores, crianças e familiares são fundamentais para que a escola seja transformada numa comunidade de aprendizagem onde todos pensam, planejam, avaliam suas ações e seus trabalhos.

Portfólios, dossiês, relatórios de avaliação, todas essas nomenclaturas se referem à organização de registros sobre aprendizagem do aluno que ajuda o educador, as próprias crianças e as famílias para poder ter uma visão evolutiva do processo e da evolução da criança.

O mais importante no processo de avaliação é o registro, pois é por meio dele que o educador coleta informações dia após dia. Essa constância do registro possibilita ao professor e ao aluno uma panorâmica dos passos percorridos na construção da aprendizagem.

A forma de registrar diariamente o caminhar da criança tem como objetivo mostrar a importância da aula planejada e das atividades escolhidas.

Não importa a ferramenta que você escolhe para fazer o registro, o que importa mesmo é que esse procedimento seja feito pautado no desenvolvimento holístico da criança.

Quando o registro é feito com esse olhar ficar fácil identificar qual aluno está com desempenho defasado, qual aluno precisa ser mais estimulado e qual precisa de atenção especial para desenvolver suas dificuldades.

Como vocês podem ver, é a partir de uma documentação pedagógica bem feita e uma prática refletida na criança e não em processos administrativos que as soluções ou sugestões sobre o processo de aprendizagem farão sentido.

Como fazer bom uso dessa prática?

O educador que tiver cadencia e coerência nos registros pedagógicos terá claro que a avaliação será para melhorar e propiciar avanços no trabalho e no desenvolvimento infantil e não apenas para cumprir protocolos burocráticos.

Para explorar ainda mais esse assunto selecionamos alguns materiais para que você baixe e faça bom uso dessas práticas.

Como preparar roteiros e pautas?

Leia mais em: 7 Dicas para organizar seus roteiros sem perder tempo

O que avaliar e de que maneira? 

Baixe nosso ebook em: Tudo que você precisa saber para avaliar registros pedagógicos na Educação Infantil

Na Eduqa.me é possível fazer seu planejamento semanal e também planejar projetos. Legal, não é?

Agora que você já leu todo esse material sobre avaliação, que tal se inspirar e compartilhar as ferramentas que vocês mais usam para avaliação?

Escreva um email para deborahcalacia@eduqa.me.

Clique aqui e teste grátis!

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

 

Deborah Calácia para a Eduqa.me. Deborah é linguista e especialista em tecnologia e educação – Universidade de Brasília.

Portfólio na Educação Infantil: Como organizá-lo e o que usar na avaliação
Materiais para Download/Rotina pedagógica
0 Comments

Portfólio na Educação Infantil: Como organizá-lo e o que usar na avaliação

 

PORTFÓLIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Chegou a hora de fazer o portfólio das crianças! Mas como organizar todas as informações? Fazer o portfólio não se trata apenas de reunir todas as atividades e produções do aluno, é um trabalho cuidadoso que deve mostrar a trajetória detalhada da evolução das crianças em sala. Dependendo da escola, ele é analisado bimestral, trimestral ou semestralmente, para a avaliação formativa da criança.

Descubra o segredo para montar um portfólio incrível.

Para ajudar você com essa tarefa criamos um ebook com informações valiosas para a criação, organização e avaliação, clique aqui e baixe agora é grátis!

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

Gaste seu tempo com o que realmente importa - horizontal

 

Natureza: os estados da gelatina

Permita que as crianças toquem e sintam a consistência de cada fase da gelatina (foto: Google)

Atividades/Natureza e Sociedade
0 Comments

Natureza: os estados da gelatina

As crianças sempre aprendem realmente quando experimentam algo, ao invés de apenas ouvir a respeito. No estudo dos estados físicos da água (sólido, líquido e gasoso), considere levar a turma para a cozinha, onde o professor pode mostrar a elas exatamente como ocorre a mudança de consistência de acordo com as temperaturas.

Para transformar a aula em uma atividade ainda mais interativa, utilize gelatina em pó para a lição: além de as cores serem um atrativo inexistente na água, a turma poderá, por fim, comer o objeto de estudo! Apenas tome cuidado em garantir a segurança das crianças: seja o único a mexer no fogão e guarde qualquer instrumento pontiagudo fora do alcance dos pequenos.

Permita que as crianças toquem e sintam a consistência de cada fase da gelatina (foto: Google)

Permita que as crianças toquem e sintam a consistência de cada fase da gelatina (foto: Google)

Área de conhecimento

Natureza e sociedade.

Faixa etária

Entre os 2 e 3 anos de idade (a princípio, apenas como observadores – a partir dos 4, deixe-os manusear os materiais: mexer a gelatina com a colher, despejar o conteúdo nas vasilhas).

Material

  • Gelatina em pó,
  • Água,
  • Uma panela e colher de pau,
  • Fogão e geladeira,
  • Copinhos de plásticos.

Preparação

Organize a cozinha para que não ofereça qualquer risco às crianças. Prepare, também, um canto para que elas se sentem (no chão ou em colchonetes, ou mesmo em um tapete de EVA). Antes de levá-las para o local, explique que é na cozinha que seus lanches são feitos, que outras pessoas trabalham ali e, portanto, é preciso ter cuidado para não estragar nada ou fazer bagunça. Esclareça as regras ainda em sala de aula, pedindo para que as crianças as repitam, uma a uma. Enfim, peça para que elas formem uma fila e andem lentamente até a cozinha.

Atividade

Quando todas as crianças estiverem sentadas, pegue o pacote de gelatina e despeje-o em uma panela com água fria. Misture bem até que ele seja diluído e mostre para a turma – agora, a gelatina está em estado líquido, que pode ser bebido. Se elas possuírem a motricidade bem desenvolvida, peça para que elas também mexam a colher de pau na panela, sentindo a consistência. Então, pergunte a elas o que mais é líquido e ajude-as a pensar em exemplos: água, suco, leite, chá, óleo, xixi, a chuva, etc..

Em seguida, avise que irá colocar a gelatina no fogão para prepará-la. Com o fogo aceso, evite que a classe se aproxime demais, mas aponte para elas o vapor, a “fumacinha” saindo da panela. Aquele é o estado gasoso, como o ar. Explique que a fumaça, as nuvens, o vapor que sai das nossas bocas no frio são todos exemplos do estado gasoso. Diga que isso ocorre quando esquentamos muito o líquido (se quiser introduzir mais vocabulário, pode mencionar o ponto de ebulição).

Enfim, separe os copinhos de plástico sobre um balcão ou mesa e preencha-os com gelatina. Caso as crianças sejam maiores e tenham bom controle motor, elas também podem auxiliar nessa tarefa. Com os copos preparados, conte que a gelatina irá para a geladeira – eles sabem o que acontecerá com ela lá? Vai ficar durinha para que eles possam comer. Esse é o estado sólido! Diga que isso ocorre quando resfriamos muito o líquido (se quiser introduzir ainda mais vocabulário, mencione a condensação). Tudo o que podemos segurar é sólido: bolo, gelo, frutas e legumes, pedras, materiais escolares. Estimule-os a dar vários exemplos.

Enquanto a gelatina endurece, prepare uma atividade sobre o tema que possa ser feita na cozinha ou em sala (como no exemplo abaixo, em inglês). Então, retorne à geladeira e retire a gelatina, deixando todos observarem como ela, agora, está sólida! Agora, é só distribuir os potinhos e comer o doce!

Exemplo de atividade (em inglês) para a pré-escola. Use imagens para poder trabalhar com várias idades (foto: Google)

Exemplo de atividade (em inglês) para a pré-escola. Use imagens para poder trabalhar com várias idades (foto: Google)

Para avaliar

  • As crianças entenderam que um mesmo material (água ou gelatina) podem mudar de forma?
  • Sabem nomear essas formas (sólido, líquido, gasoso)?
  • Citaram outros objetos e materiais como exemplos de cada estado da matéria?
  • Compreenderam o porquê de uma substância mudar de fase?
  • Fizeram perguntas sobre o tema e tentaram aprofundar seus conhecimentos, mostrando curiosidade?

Registre!

Em seu registro, reflita:

  • As crianças estavam envolvidas na atividade, mostraram interesse e fizeram perguntas?
  • Compreenderam as regras e se comportaram de acordo durante a atividade?
  • Entenderam o objetivo da aula, o assunto trabalhado, conseguindo diferenciar os três estados da matéria?
  • Aprenderam novo vocabulário?
  • Tiveram alguma dificuldade em executar a atividade? O problema foi motor, de linguagem, de comportamento? Como essas questões podem ser melhor trabalhadas nas aulas seguintes?
  • Houve comportamentos marcantes, bons ou ruins? Como você lidou com eles e o que poderia ser feito de outra forma?
  • As crianças relacionaram a aula com sua rotina, trazendo exemplos próprios ou contando histórias de sua vida fora da escola?

Registre atividades na Eduqa.me - horizontal