Atividade: A arte do Toque
Atividades/Registros
0 Comments

Atividade: A arte do Toque

As crianças possuem uma natureza singular e genuína que as caracteriza como seres que sentem, pensam e experimentam o mundo de um jeito próprio. Vamos refletir um pouquinho sobre esse jeito de ver o mundo?

Hoje preparamos uma atividade que explora o tato.

Descrição da Atividade

Peça para as crianças se juntarem em duplas e fecharem os olhos ( como alternativa, pode-se vendar os olhos das crianças desde que isso não ocasione medos ou outros problemas de comportamento).

Dê a cada uma delas um objeto para tatear, como uma bola, uma pena, um brinquedo ou uma caixa surpresa. Peça-lhes para que através do tato, descrevam o objeto, sem contar o que ele é para o seu parceiro, até que ele adivinhe.

Em seguida, mude as duplas e os objetos de cada um.

Registre!

  • Como as crianças reagiram ao toque?
  • Houve algum comportamento marcante, bom ou ruim?
  • Como foi o relacionamento entre as crianças durante a atividade?

Tire fotos do material produzido ou, ainda, filme. Isso enriquecerá o portfólio delas e será uma ferramenta útil para a avaliação!

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

Registre atividades na Eduqa.me - horizontal

Texto elaborado a partir do material produzido pelo Projeto Pela Primeira Infância. Clique e conheça mais sobre o Projeto Pela Primeira Infância– Programa de Formação em Desenvolvimento Cognitivo Infantil com base nas Neurociências, para profissionais da Educação Infantil

Como o colégio Jardim Encantado faz semanários e registros muito mais rápido

A papelada aumenta e os processos burocráticos atrasam o trabalho da coordenação? Talvez seja hora de rever os sistemas da escola (foto: Utterly Organized)

Registros/Rotina pedagógica/Práticas inovadoras
0 Comments

Como o colégio Jardim Encantado faz semanários e registros muito mais rápido

O que você vai aprender com esse caso?

Se você é professora, coordenadora ou diretor em alguma escola de educação infantil e fundamental, recomendo muito que preste atenção neste artigo. Vamos mostrar como um de nossos clientes, o Centro Educacional Jardim Encantado, trabalhou junto com a Eduqa.me para resolver os problemas na árdua tarefa de organizar e gerenciar os semanários, registros e relatórios escolares, bem como construir um acervo de atividades acessíveis promovendo troca e colaboração entre os professores. Também vamos mostrar como a escola se tornou ágil na comunicação entre coordenadores pedagógicos e professores.

A Escola

O Jardim encantado é uma Escola de Educação Infantil e Berçário que fica no Paraná em uma cidade chamada Meridianeira. A Escola adotou a Eduqa.me no começo do ano e no primeiro mês, teste,  foi um processo de adaptação e reconhecimento dos professores. Como os professores usaram e acharam fácil, o Diretor assinou a Eduqa.me e começou o trabalho. Primeiramente a implementação foi feita com professores e em seguida foi expandindo para a família. Hoje os professores fazem todos os seus semanários na Eduqa.me e também os registros de atividades de cada classe e das crianças, assim a família também faz acompanhamento das atividades que seus filhos fazem na escola. Desde fotos, questionários e anotações pertinentes a cada criança. Como o Jardim Encantado é uma escola aberta às devolutivas, a plataforma também tem contribuído muito nesse aspecto, pois a família chega hoje na Escola desejando obter informações dos seus filhos e o Diretor acessa o sistema e já tem uma resposta pronta, sem ter que chamar o professor na sua sala de aula.

#Na Prática

Os professores acessam a Eduqa.me e criam uma rotina de atividade para desenvolver as crianças semanalmente, isto é, o semanário. Assim a coordenação e a direção ficam cientes do semanário imediatamente. Além desse compartilhamento, tanto o professor, quanto o coordenador, podem fazer comentários nas atividades do semanário, com isso agilizam a troca de informação e esclarecimento de dúvidas. Uma vez que existe essa transparência a responsabilidade passa a ser de todos os atores da Escola. Desta maneira a direção passa a ser responsável e a ter mais propriedade para dialogar direto com a família sem ter que chamar o professor na sua sala de aula. 

“Não tem a necessidade de fazer a pergunta: – vou perguntar para o professor para saber o que está acontecendo, eu simplesmente acesso e pronto. A resposta está ali, pronta. É legal porque ajudando os professores nesse processo as coisas ficam mais fáceis para todos e a Escola tem mais fluidez.”

Alexandre – Diretor do Centro Educacional Jardim Encantado

Hoje a Escola conta com 47 crianças cadastradas na plataforma, 4 professores docentes, 1 coordenador pedagógico e 1 Diretor. A escola usa a Eduqa.me há 4 meses e já tem catalogado em seu baú de atividades mais de 900 atividades mapeadas em 14 áreas do conhecimento.

Números do colégio Jardim Encantado

Números do colégio Jardim Encantado

 

Toda essa informação gerada pela escola antes era perdida pois não havia a possibilidade de resgatá-las para discutir e reorientar as práticas pedagógicas. Além disso, muitas anotações importantes sobre as crianças não eram feitas pois caiam no esquecimento. Agora coordenador e diretor podem fazer diversas buscas sobre uma série de informações pedagógicas na plataforma. Como por exemplo buscar as atividades de linguagem feitas nos últimos 3 meses, visualizar de maneira clara as atividades com os registros em fotos e vídeos, resgatar essas atividades para possíveis relatórios, replicar, co-criar, repensar e decidir o que muda ou não para os próximos meses. Agora o colégio também conta com um acervo de todas as suas atividades feitas. Todas com fácil acesso e salvas em  um local seguro prontas para serem reaproveitadas com apenas um clique.

O Desafio

O principal desafio do Jardim Encantado era:

Organizar e gerenciar a documentação pedagógica.

Como resolver esses dois problemas sem tomar mais tempo da coordenação e dos professores, em um dia a dia tão corrido como o escolar? Com a documentação em ordem seria possível balizar qual área do conhecimento estava defasada e a partir dessa constatação gerar um plano de ação para as atividades certas para o  desenvolvimento infantil de cada classe. 

Apesar da Escola já fazer a documentação usual com planilhas, cadernos e documentos impressos, os semanários eram sempre o grande ponto de atenção, pois na maioria das vezes a rotina da Educação Infantil era puxada e a rotina consumia a maior parte do tempo dos professores.

A Solução

Obviamente que a  qualidade do ensino depende de muitos fatores, em graus diferentes, mas a solução que a Eduqa.me propõe é fazer toda a documentação pedagógica com uma única ferramenta que é acessível do celular, tablet ou computador.

Semanário:

Para o semanário o professor planeja e a coordenação acompanha em tempo real o planejamento de todas as turmas. Sem envio de e-mails e vários outros documentos. Hoje as devolutivas são feitas no própria plataforma, facilitando o diálogo, a busca e a organização.

Registros:

A escola optou por registrar por texto, foto e vídeo. Desta maneira os registros ficam mais completos e ricos e é possível saber o universo das atividades lecionadas, qual área do conhecimento está sendo mais estimulada e quais são os pontos de atenção das demais áreas e, principalmente, das crianças.

Escrever sobre a prática faz pensar e refletir cada decisão tomada, permitindo aprimorar o trabalho diário da sala de aula e adequá-lo com frequência às necessidades dos alunos e trocar os aprendizados com outros professores passa a ser consequência. A Eduqa.me permite que essa tarefa seja feita de forma simples.

Anotações individuais:

Um dos recursos mais importantes da Eduqa.me, aqui na mesma hora que o professor faz um registro para toda a classe ele consegue fazer anotações individuais de cada criança, ou seja, o professor pode anotar uma fala, um comportamento e essa anotação vai direto para o perfil da criança ajudando a compor seu portfólio online.

O Baú de Atividades:

Outro recurso de muito destaque é o Baú de atividades, nele ficam armazenadas todas as atividades que o professor planeja. O Baú também permite que o professor compartilhe suas atividades planejadas com professores de todo o Brasil ou busque novidades de outros professores para a aula da semana. O professor pode criar, pesquisar, co-criar e compartilhar suas atividades. Agora o Jardim Encantado conta com um báu de fácil acesso com mais de 550 atividades até o momento, essas atividades podem ser usadas na própria escola e, até mesmo, se compartilhadas no baú público, podem ser copiadas por qualquer professor do Brasil.

Afinal de contas educação sem troca, não é educação.

Gaste seu tempo com o que realmente importa - horizontal

Relatórios/Desenvolvimento cognitivo/Identidade e autonomia/Socioemocional
0 Comments

Os cinco sentidos ou os dois sentidos?

cinco sentidos, paladar

As crianças possuem uma natureza singular e genuína que as caracteriza como seres que sentem, pensam e experimentam o mundo de um jeito próprio. Vamos refletir um pouquinho sobre esse jeito de ver o mundo?

Mas antes vou contar uma história para vocês: a história sobre a escola dos animais.

“Era uma vez uma escola para animais. Os professores tinham certeza que possuíam um programa de estudos inclusivos, mas, por algum motivo, todos os animais estavam indo mal. O pato era a estrela da classe de natação, porém, não conseguia subir em árvores. O macaco era excelente subindo em árvores, mas era reprovado na natação. […] os coelhos eram sensacionais nas corridas, mas precisavam de aulas particulares de natação. O mais triste de tudo era ver as tartarugas, que, depois de vários exames e testes foram diagnosticadas como tendo «atraso de desenvolvimento». De fato, foram enviadas para uma classe de educação especial numa distante toca de esquilos.[…]”.

(GÓMEZ, Ana Maria Salgado; TERÁN, Nora Espinosa. Dificuldades de aprendizagem. Brasil: Grupo Cultural, 2006. Página 81.).

Fazendo uma analogia com as crianças, fica claro nesta história como cada sujeito é único; possui habilidades e também dificuldades.

Temos diferentes talentos e formas distintas de aprender. Para que os alunos se apropriem dos objetos de conhecimento é importante que os professores não só valorizem estes aspectos, mas também possibilitem situações em classe para que os diferentes estilos de aprendizagem sejam acessados.

Muitas vezes, os professores não se dão conta de que os métodos ou estratégias utilizadas por eles, não estão ao alcance de todas as crianças. “Os professores tinham certeza que possuíam um programa inclusivo, mas ainda assim, os animais não conseguiam aprender”.

Este ponto da história remete uma atitude muito conhecida nas relações de aprendizagem: achar um culpado ou algo que justifique a dificuldade de aprendizagem dos alunos, o que na maioria das vezes não está associado ao professor ou aos métodos por ele e pela escola adotados.

pintura

A mudança deste esteriótipo começa quando se passa a refletir sobre: o que mais podemos fazer enquanto professores, para estimular as crianças além da visão e da audição para o benefício da sua aprendizagem?

Muitas coisas! Uma delas é desconstruir a ideia de que temos apenas dois sentidos (visão e audição). A escola sem perceber, acaba por superestimular a capacidade de ver e ouvir deixando de explorar tantos outros pontos de extrema necessidade.

Explorar os sentidos na criança é de grande valia para a aprendizagem e para o processo de desenvolvimento como um todo.

Como já vimos em textos anteriores, o corpo é o nosso veículo de aprendizagem, é o gravador que registra tudo do começo ao fim.

Assim, através do sistema sensorial, a criança percebe o seu corpo e tudo que está a sua volta. As experiências sensoriais fazem bem ao desenvolvimento do cérebro e permitem que a criança use o seu corpo de forma mais eficiente no meio em que vive.

Quando trabalhamos com a visão, a audição, o paladar, o tato e o olfato, a cinestesia também é estimulada e as sensações proprioceptivas (percepção dos movimentos de cada parte do corpo, equilíbrio e atenção) são aprimoradas para ajudar as crianças a realizarem as suas tarefas e atividades de vida diária. Além disso, futuramente são grandes alicerces para a aquisição da escrita, aperfeiçoamento do desenho e da pintura.

Envolver os sentidos e a cinestesia¹ nas atividades de sala de aula pode ser um forte aliado para o controle da indisciplina das crianças. Quando se estimula o tato e o olfato por exemplo, o nível de atenção da criança eleva, ela se concentra e automaticamente se acalma, envolvendo-se mais com a tarefa proposta.

Além disso, estimulam também a inteligência, ajudam na criatividade e permitem que os alunos aprendam mais e melhor. Tudo isso acontece, pois o cérebro tem a oportunidade de acionar diferentes canais para a entrada de conhecimento, contemplando todos os estilos de aprendizagem.

atividades sensoriais

Imaginem dar esta oportunidade às crianças com deficiências? Elas seriam muito mais beneficiadas com a estimulação e presença dos sentidos e da cenestesia em suas atividades pedagógicas.

O professor só deve tomar cuidado com a quantidade de estímulos trabalhados. Muita informação sensorial ao mesmo tempo pode desorganizar a aprendizagem da criança.

Outro ponto importante é não “forçar” a criança a realizar uma atividade que ela demonstre medo ou alguma reação incomum. Existem algumas síndromes ou certos tipos de deficiências que provocam uma hipersensibilidade na criança em relação a alguns sons, como  se aplica às crianças com autismo. Não podemos transformar um recurso positivo em um problema nas nossas aulas.

Permitir a escolha e oferecer opções sensoriais diferentes deixa o aluno mais seguro para fazer as atividades e construir um ambiente bastante acolhedor. Além de ser uma forma diferente de conhecer o mundo e aprender, desenvolver as sensações auxilia todas as crianças a se tornarem sujeitos mais sensíveis nas suas relações com o mundo e principalmente com as pessoas.

Nos tempos atuais, precisamos de pessoas menos calculistas, que possam olhar para o outro com cuidado, respeito e solidariedade. Ter a capacidade de praticar a empatia e reinventar as relações sociais é um desafio para a humanidade. 

Vale a pena observar e registrar o que a criança mais gosta ou tem mais habilidade de fazer em termos sensoriais. Você pode registrar o que aconteceu em suas atividades de maneira rica com fotos, vídeos e suas anotações:

Registros de atividades na Eduqa.me

Registros de atividades na Eduqa.me

Não acabou por aí! Lembra daquela anotação específica de uma única criança? Uma fala, um comportamento que você percebeu? Você pode acrescentar essa anotação no mesmo lugar e essa anotação vai compondo os registros apenas dessa criança, não é incrível!?

Anotações individuais na Eduqa.me

Anotações individuais na Eduqa.me

Clique AQUI para acessar a plataforma e descobrir como você pode fazer seus registros de um jeito que não consuma todo o seu tempo fora da Escola.

Cinestesia¹: diz respeito à senso-percepção dos movimentos corporais e em relação ao ambiente. Está ligado a manipulação dos objetos para aprender. Seja pelo toque, o contato, o movimento, o cheiro, o sabor.

 Texto: Luciana Fernandes Duque para a Eduqa.me. Luciana é doutoranda em Educação Especial – Faculdade de Motricidade Humana pela Universidade de Lisboa – Portugal, Mestre em Educação – Distúrbios do Desenvolvimento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Psicopedagoga Clínica e Pedagoga com vasta experiência Educação Inclusiva. É autora de dois livros, um sobre inclusão escolar e outro sobre relação professor aluno.

4 brincadeiras simples para estimular a motricidade na Educação Infantil

Gel, bolinhas e pequenos objetos dentro do saco plástico fascinam as crianças pequenas (foto: Massacuca)

Atividades/Movimento/Natureza e Sociedade
2 Comments

4 brincadeiras simples para estimular a motricidade na Educação Infantil

A motricidade se desenvolve naturalmente durante toda a primeira infância: a motricidade ampla, quando a criança corre, pula ou se equilibra, por exemplo; a motricidade fina ao amarrar os cadarços ou segurar os talheres para se alimentar sozinha. Porém, há infinitas opções de atividades para que pais e educadores incentivem ainda mais essas competências. E se engana quem acredita que elas requerem um grande investimento – hoje, selecionamos apenas brincadeiras feitas com materiais comuns, que todos devem ter em casa (ou no pátio da escola).

Essas brincadeiras fazem parte do site Massacuca, em que duas mães elaboram, testam e escrevem sobre atividades lúdicas para a primeira infância (nós já entrevistamos as criadoras do projeto no post A diferença entre brincar e ter brinquedos). Conhecemos a ideia do Massacuca no encontro Social Good Brasil Lab deste ano, em que 50 iniciativas sociais de todo o país – incluindo a Eduqa.me! – aprendem sobre como empreender e, ao mesmo tempo, trazer benefícios para a sociedade. Como estamos sempre em busca de novidades que possam melhorar a Educação Infantil, uma parceria foi inevitável.

Aqui estão selecionadas uma brincadeira para cada faixa etária.

#1 Saco sensorial

Gel, bolinhas e pequenos objetos dentro do saco plástico fascinam as crianças pequenas (foto: Massacuca)

Gel, bolinhas e pequenos objetos dentro do saco plástico fascinam as crianças pequenas (foto: Massacuca)

Só o que é preciso para essa atividade é um saco plástico grande e bastante gel de cabelo. Outros pequenos objetos podem ser adicionados para tornar o toque ainda mais interessante: na foto, há estrelinhas metálicas, compradas na papelaria, e bolinhas de gel. Lantejoulas, bichinhos de borracha, pompons ou botões são alternativas à mistura.

A dica é colar as extremidades do saco plástico no chão com fita crepe ou dupla face, para que as crianças possam engatinhar ou andar sobre ele com mais segurança. Também é possível usar várias sacolas menores, contendo texturas diferentes (areia, terra, gelatina) para que elas possam comparar uma à outra.

Idade indicada:

  • A partir dos 9 meses, sempre com a supervisão de um adulto.

Cuidados

  • É necessário que o plástico seja grosso, para não ser perfurado durante a exploração – caso isso aconteça, o melhor é interromper a brincadeira para que nenhuma criança engula as peças;
  • Dê preferência ao gel inodoro ou com perfume suave, especialmente se preparar a atividade para bebês.

# 2 Cortina sensorial com garrafas

Garrafas recheadas com todo tipo de material podem ocupar as crianças por horas em uma brincadeira coletiva (foto: Massacuca)

Garrafas recheadas com todo tipo de material podem ocupar as crianças por horas em uma brincadeira coletiva (foto: Massacuca)

Nesta brincadeira, garrafinhas cheias dos mais diversos materiais são penduradas formando uma cortina para que as crianças explorem diferentes texturas, pesos e temperaturas. Na foto, foram 50 combinações diferentes, dentre elas:

  • Garrafas leves, com penas, isopor, papel e folhas;
  • Garrafas pesadas, com areia, pedrinhas, farinha, água ou gel;
  • Garrafas sonoras, com grãos, macarrão, clipes de papel, botões, arroz, conchas ou palitos de dente;
  • Garrafas com água gelada e água morna;
  • Garrafas com “movimento”, em que grãos ou pequenos objetos flutuam na água, no gel ou mesmo no ar (no caso de penas e ou flocos de isopor);
  • Garrafas com pequenas reações químicas, como água e óleo ou água e um pouco de detergente (que causará espuma assim que for chacoalhado).

E por aí vai, é só dar asas à imaginação.

Idade indicada:

  • A partir de 1 ano de idade, sempre com a supervisão de um adulto.

Cuidados

  • As garrafas precisam ser bem lavadas por fora, já que crianças menores podem colocá-las na boca;
  • Garanta que as tampas estão bem fechadas e lacradas com fita adesiva, para não se abrirem durante a atividade – caso isso ocorra, retire aquela garrafa de circulação para que o conteúdo não seja ingerido!

#3 Carimbos naturais

Carimbos feitos de vegetais são uma atividade criativa que exercita a motricidade fina (foto: Massacuca)

Carimbos feitos de vegetais são uma atividade criativa que exercita a motricidade fina (foto: Massacuca)

(foto: Massacuca)

(foto: Massacuca)

Os formatos dos carimbos podem ser feitos com ajuda de uma faca pequena ou de cortadores de biscoitos (aqueles em formato de estrelas ou corações) – essa parte da atividade, é claro, deve ser preparada com antecedência por um adulto, porém as crianças podem ajudar escolhendo os formatos. Batata, cenoura, pimentão e erva-doce foram usados na foto acima, mas vale explorar outros vegetais disponíveis. A dica é aproveitar aqueles que você tem em casa, mas já não estão tão bons para o consumo.

Segundo as mães, brincar com os alimentos ajuda a fortalecer a relação com a comida e promove a alimentação saudável. Afinal, as crianças que tiveram contato com as verduras em um contexto divertido e de descoberta não devem achá-las tão “nojentas” na hora da refeição. Incentive as comparações entre cada alimento: qual tem a casca mais áspera, qual é macio, qual tem sementes, etc..

Idade indicada:

  • A partir dos dois anos, sempre com a supervisão de um adulto.

Cuidados

  • Lave bem as verduras e deixe-as secando sobre papel toalha antes de recortar os carimbos;
  • Use tinta guache ou tinta feita em casa – preste atenção nos rótulos para não expor as crianças a tintas tóxicas;
  • Vigie atentamente o grupo para que nenhuma criança coma os vegetais usados na brincadeira.

#4 Galhos e lã

Perfeito para trabalhar a destreza dos dedos, os enfeites de galhos e lã ficam lindos (foto: Massacuca)

Perfeitos para trabalhar a destreza dos dedos, os enfeites de galhos e lã ficam lindos (foto: Massacuca)

Para essa atividade, não há segredo: convide a turma para sair da sala de aula e recolher galhos de diferentes tamanhos no pátio. Então, sentem-se juntos para fabricar os enfeites com novelos de lã coloridos. A brincadeira consiste em enrolar os galhos com diferentes combinações de cores, exercitando a motricidade fina. Você também pode usar fitas e barbantes.

Idade indicada:

  • A partir dos 3 anos, sempre com supervisão de um adulto.

Cuidados

  • Cheque os galhos encontrados pelas crianças para garantir que eles estejam em bom estado, sem fungos ou insetos;
  • Dê galhos menores (gravetos) para os alunos mais novos, para prevenir acidentes;
  • Se houver espinhos ou pontas afiadas em alguns galhos, retire-as antes de entregá-los às crianças.

Gostou das ideias? Não esqueça de observar a atuação dos pequenos: a maneira como eles manuseiam os objetos explica seu desenvolvimento motor; assim, é possível compreender quem precisa de mais estímulo e atenção e quem já está pronto para novos desafios.

Quanto mais controle das mãos e pontas dos dedos, mais segura a criança estará para segurar o lápis e escrever, no futuro, quando chegar o momento da alfabetização.

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME

Registre atividades na Eduqa.me - horizontal

Ebook: Como organizar centenas de fotos em poucos minutos

Fonte: Dica de mãe

Materiais para Download/Rotina pedagógica
0 Comments

Ebook: Como organizar centenas de fotos em poucos minutos

A tecnologia pode ser sua aliada na hora de guardar, organizar e acessar suas fotos – e, sim, nós sabemos que são muitas. Mas elas também são registros essenciais para avaliar o aprendizado das crianças e, portanto, devem ser mantidas com cuidado.

Quer conhecer duas alternativas para colocar suas centenas de fotos em um lugar seguro, sem desperdiçar seu tempo? Nós reunimos dicas no novo ebook: Como organizar centenas de fotos em poucos minutos!

TESTE 18

Nele, você confere:

  • Por que usar fotos na Educação Infantil?

Entenda qual a importância desses registros para a avaliação de aprendizado das crianças.

  • As dificuldades de organização – sim, tudo pode virar uma bagunça!

Mas nós ajudamos a organizar seu material de forma simples e em pouco tempo.

  • Ferramentas online

Confira dois sites que vão facilitar sua vida – e as dicas para usá-los bem!

Acesse a Eduqa.me para ter registros completos, fáceis e rápidos de atualizar.

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

Gaste seu tempo com o que realmente importa - horizontal

Como guardar (e organizar) centenas de fotos com facilidade

Existem soluções simples para organizar as fotos - e qualquer outro material - do professor de Educação Infantil (foto: Puyallup)

Registros/Rotina pedagógica
0 Comments

Como guardar (e organizar) centenas de fotos com facilidade

Esta semana, encontrei o depoimento de uma professora de Educação Infantil em que ela se queixava da dificuldade em organizar seus registros – segundo ela, ela reunia mais de cem fotos da turma por mês. Ao final de um ano letivo, ela teria superado o número de mil fotografias! E, é claro, todas elas são registros valiosos, especialmente lidando com uma faixa etária que ainda não escreve ou realiza provas como método de avaliação.

Por outro lado, os inconvenientes são muitos: desde ocupar exaustivamente a memória do seu computador até organizar pastas para encontrar facilmente o que procura. Isso sem falar em mobilidade – raramente os professores trabalham com um único aparelho; o mais usual é que o computador de casa e da escola sejam utilizados, assim como tablets ou celulares. Aí, haja paciência para transferir arquivos de um para o outro sem se perder na bagunça.

Soa familiar?

Organizar suas fotos online pode ser a solução de seus problemas, além de ser bem mais simples do que a maioria dos educadores espera. Confira as vantagens de guardar seus registros em duas plataformas simples que vão transformar sua rotina.

Existem soluções simples para organizar as fotos - e qualquer outro material - do professor de Educação Infantil (foto: Puyallup)

Existem soluções simples para organizar as fotos – e qualquer outro material – do professor de Educação Infantil (foto: Puyallup)

Gostou?

Quer saber mais sobre esse tema? Clique conheça mais sobre a Eduqa.me.

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

Dropbox

O Dropbox é um site de armazenamento que vem sendo amplamente usado por professores de vários países, inclusive como forma de receber trabalhos dos alunos. Ainda que esse não seja o caso para a Educação Infantil, há várias possibilidades de organização e compartilhamento.

A primeira coisa que você precisa saber é: você pode usar a plataforma online, com apenas email e senha para acessar sua conta gratuitamente, ou fazer o download do Dropbox em todos os seus dispositivos. Assim, você pode:

Subir arquivos e criar pastas

Ao invés de ocupar espaço na memória do seu computador, transfira seus documentos para o Dropbox e divida-os em pastas e subpastas de acordo com mês e área de conhecimento. Por exemplo:

JULHO > MÚSICA E ARTES > INSTRUMENTOS COM MATERIAL RECICLÁVEL

Dessa forma, encontrar conteúdos semanas após a atividade continua fácil e intuitivo. Além disso, salvar os registros na rede previne que o professor perca tudo caso tenha qualquer problema técnico ou estrague seu computador.

Na versão online, o professor pode organizar suas fotos em pastas e subpastas (foto: Dropbox)

Na versão online, o professor pode organizar suas fotos em pastas e subpastas (foto: Dropbox)

Compartilhar material

Outra funcionalidade útil para educadores é a possibilidade de compartilhar. Basta clicar no arquivo que você quer mostrar para sua equipe e clicar em “compartilhar”. Ao incluir o email de seus colegas, eles terão acesso apenas àquele conteúdo e podem fazer alterações ou deixar comentários.

Essa é inclusive uma alternativa para entrar em contato com os pais de seus alunos sem precisar dedicar tempo extra a impressões e envelopes – por que não enviar para eles um resumo da semana (que você provavelmente já fez, de qualquer forma, para a coordenação) através do Dropbox? Ou mesmo dividir fotos e vídeos de momentos especiais em sala de aula?

Não se preocupe: ao compartilhar uma foto ou texto, os outros documentos permanecem particulares.

Ter mobilidade

Como professor de Educação Infantil, você provavelmente precisa imprimir atividades ao menos algumas vezes por semana. Isso exige ou um pendrive ou a chateação de enviar a si mesmo os exercícios por email, até encontrar uma impressora na escola.

Nesse ponto, fazer o download do Dropbox é ainda mais indicado. A pasta Dropbox ficará em seu computador assim como qualquer outra (Meus Documentos ou Minhas fotos, por exemplo), com a diferença de que o que for colocado ali aparecerá em todos os seus dispositivos. Ou seja, ao invés de salvar um plano de aula na Área de Trabalho, você realiza os mesmos passos para salvá-lo na pasta Dropbox – e, apenas com essa pequena mudança de coordenadas, pode acessar o arquivo em seu celular, tablet, laptop ou computador da escola.

Fazendo o download, o Dropbox aparece como qualquer pasta em sua Área de Trabalho (foto: Tech So Easy)

Fazendo o download, o Dropbox aparece como qualquer pasta em sua Área de Trabalho (foto: Tech So Easy)

Eduqa.me

A Eduqa.me tem o diferencial de ser uma plataforma pensada exclusivamente para o professor de Educação Infantil. Portanto, além de armazenar fotos e arquivos, ela os organiza automaticamente para que o professor visualize o desenvolvimento de cada turma. A plataforma permite que o professor:

Separe fotos por área de conhecimento

Ao cadastrar cada atividade, o professor seleciona quais áreas de conhecimento estava desenvolvendo. É possível ainda marcar mais de uma área quando a dinâmica estimular diferentes aprendizados para as crianças. Por exemplo:

FAZENDO CONTAS COM CAIXINHAS DE FÓSFORO > MATEMÁTICA e MOTRICIDADE

Nessa mesma tela, há espaço para descrever a atividade e fazer o upload de fotos ou vídeos. Assim, sempre que o professor quiser conferir o que foi feito com a classe apenas em matemática, basta selecionar essa área de conhecimento na lista e todos os exercícios relacionados vão aparecer imediatamente. No caso do exemplo acima, a atividade “Fazendo contas com caixinhas de fósforos” apareceria tanto na seção “Matemática” quanto na “Motricidade”.

O professor seleciona as fotos correspondentes ao cadastrar a atividade (foto: Eduqa.me)

O professor seleciona as fotos correspondentes ao cadastrar a atividade (foto: Eduqa.me)

Crie linhas do tempo

Outra facilidade ao usar a Eduqa.me é ver seus registros organizados em ordem cronológica. Ao adicionar uma atividade e inserir a data, ela aparece automaticamente na página da turma e de todas as crianças que participaram dela.

Esta é uma outra forma de organização: por data. Escolhendo um período, o professor vê tudo o que foi realizado nesse espaço de tempo – e, clicando em uma das atividades, acessa as fotos e vídeos respectivos.

A linha o tempo exibe todas as últimas atividades realizadas em ordem cronológico - basta clicar em uma para acessar fotos e vídeos anexados (foto: Eduqa.me)

A linha o tempo exibe todas as últimas atividades realizadas em ordem cronológico – basta clicar em uma para acessar fotos e vídeos anexados (foto: Eduqa.me)

Gere relatórios

As fotos lançadas na plataforma são reunidas ao fim de cada semana em um relatório automático que o professor recebe por email. Como um semanário online, esse documento é enviado para o professor e pode ser salvo em seu computador ou compartilhado com coordenadores e pais, melhorando a comunicação da equipe.

Quer saber mais sobre esse tema? Clique conheça mais sobre a Eduqa.me.

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME 

Assim como o Dropbox, a Eduqa.me dá mobilidade ao professor. O que está guardado na plataforma pode ser acessado de qualquer computador, tablet ou celular, com apenas o login e senha. Isso garante a segurança dos documentos, além de agilizar o trabalho – afinal, tudo está reunido em um só lugar.

Crie relatórios de desenvolvimento na Eduqa.me - horizontal

Ebook: Tudo que você precisa saber para avaliar registros pedagógicos na Educação Infantil
Materiais para Download/Relatórios/Rotina pedagógica
0 Comments

Ebook: Tudo que você precisa saber para avaliar registros pedagógicos na Educação Infantil

TESTE 16

Com diversos formatos de registro, do texto ao vídeo, o professor precisa selecionar as melhores amostras para perceber corretamente o desenvolvimento de cada criança. Essa não é uma tarefa simples! Quem acumula atividades de mais de uma turma tende a apressar a tarefa e, por consequência, nem sempre opta pelos registros mais úteis. Mostrar trabalhos “bonitos” para os pais, ao fim do semestre, é outra preocupação que fica no caminho de um trabalho bem feito.

É possível orientar seus registros desde o início do ano para realizar uma avaliação de qualidade! Para ajudar, a Eduqa.me reuniu o que todo professor de Educação Infantil precisa saber sobre o assunto:

  • Como fazer bons registros, pensando no objetivo e ferramentas,
  • A seleção: quais são os registros que realmente mostram a evolução das crianças?
  • Comparando momentos: atividades, citações, fotos e vídeos.
  • Como criar uma linha do tempo para visualizar o desenvolvimento ainda melhor!

Tudo isso com fotos e exemplos para facilitar o trabalho pedagógico. Baixe agora, gratuitamente, clicando em: Como comparar registros para entender a evolução das crianças!

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME Crie relatórios de desenvolvimento na Eduqa.me - horizontal

 

Síndrome de Irlen? Nunca ouvi falar!

Óculos são feitos com a coloração da lente específica à necessidade da criança (foto: KBMT Images Worldnow)

Desenvolvimento Infantil/Desenvolvimento cognitivo/Relatórios
0 Comments

Síndrome de Irlen? Nunca ouvi falar!

Você conhece a Síndrome de Irlen?

Se sua resposta for sim, saiba que é um profissional muito ligado aos novos conhecimentos; mas, se sua resposta for não, fique tranquilo: você pertence ao grupo da maioria!

A maioria das pessoas desconhece o que é a Síndrome de Irlen (S.I.). Isso porque, no Brasil, a S.I é conhecida há apenas 5 anos; portanto, temos muito a desvendar. A Síndrome de Irlen (S.I.), também conhecida como dislexia de leitura, é um problema que passa despercebido aos olhos de muitos profissionais, já que possui características muito semelhantes à dislexia.

É uma alteração do processamento visual, de ordem hereditária e genética, causada pelo desequilíbrio da capacidade de adaptação à luz. Isso produz alterações visuo-perceptuais, causando dificuldades principalmente com a leitura. Segundo dados do Hospital de olhos de Minas Gerais, de 2015, a prevalência da S.I. é maior do que a dislexia, sendo 4 para cada 10 crianças.

Exemplos de: uma visão distorcida, uma visão com letras embaralhas, e de letras que parecem saltar do papel (foto: Irlen Central England)

Exemplos de: uma visão distorcida, uma visão com letras embaralhadas, e de letras que parecem saltar do papel (foto: Irlen Central England)

Fique atento aos sintomas mais comuns:

Esse conteúdo é restrito para assinantes!
Faça sua assinatura aqui e tenha acesso livre.

[ms-protect-content id=”6785″] [ms-protect-content id=”6759″]

 

 

 

 

  • Cefaleia (dor de cabeça),
  • Coceira nos olhos,
  • Os olhos lacrimejam,
  • Enjoo,
  • Intolerância à luz/ desconforto causado pela luz solar,
  • Dificuldade visuo-espacial,
  • Dificuldades de aprendizagem,
  • Problemas significativos com a leitura: leitura fragmentada, omissão ou troca de letra, as letras parecem pular ou ficam distorcidas, costumam perder ou pular linhas na leitura de um texto,
  • Muita dificuldade em manter o foco e a concentração num texto lido,
  • Insegurança com esportes de bola e também ao descer e subir uma escada rolante,
  • Sonolência e distração.

A observação em sala de aula é fundamental para o apoio do diagnóstico precoce. Se o seu aluno possui alguma destas características, suspeite e o encaminhe para uma avaliação psicopedagógica (leia mais sobre quando encaminhar a criança a um especialista aqui).

Os profissionais da escola devem saber que crianças com S.I. enxergam bem e não percebem que possuem estas alterações ou distorções na visão – o que significa que, ao serem encaminhadas ao oftalmologista, a avaliação poderá ser “normal”. A S.I. é detectada através de um exame de processamento visual realizado por um profissional da saúde ou de educação devidamente capacitado. Os profissionais que recebem este treinamento são chamados de Screening.

O momento ideal para se identificar a síndrome é por volta dos 6 ou 7 anos de idade, por ser a fase inicial de aquisição da leitura e escrita. E aí, fica o questionamento: quantos alunos são confundidos ou ligados a adjetivos negativos (preguiçoso, desmotivado, entre outros) como consequência de um diagnóstico falho?

Exemplos de Overlays – sobreposições coloridas. Em alguns casos, também são usadas overlays em formato de régua (foto: Upgrade Ape)

Exemplos de Overlays – sobreposições coloridas. Em alguns casos, também são usadas overlays em formato de régua (foto: Upgrade Ape)

Observe os principais sinais da S.I. que podem ser detectados em sala de aula:

  • Por conta da fotofobia (sensibilidade à luz), a criança costuma demonstrar uma percepção de brilho excessivo ao usar as folhas brancas, o que atrapalha o desenvolvimento da leitura escrita,
  • Faz uma leitura fragmentada ou silabada,
  • Na escrita, as letras podem estar grafadas de maneira tremida ou flutuantes, fora das linhas,
  • Costuma pular linhas ou pedaços do texto no momento de uma leitura. É possível perceber este fato quando a criança lê em voz alta ou apresenta problemas com a interpretação de texto,
  • Perda freqüente da atenção em situações de leitura,
  • Estresse visual, ou seja, o aluno pisca muitas vezes, os olhos lacrimejam ou ainda coçam e protegem os olhos.

O tratamento realizado baseia-se no uso de transparências coloridas, também chamadas de “overlays”, para a leitura de textos em papel ou no computador/tablet, que neutralizam o contraste luminoso. Para cada pessoa utiliza-se uma cor diferente após a avaliação do processamento visual.

Existem óculos, por enquanto, produzidos apenas nos Estados Unidos, com a coloração das lentes específica à necessidade do sujeito. Infelizmente, eles continuam sendo inviáveis para boa parte das famílias, não só pelo custo, mas também porque o grau da criança ainda é instável.

Óculos são feitos com a coloração da lente específica à necessidade da criança (foto: KBMT Images Worldnow)

Óculos são feitos com a coloração da lente específica à necessidade da criança (foto: KBMT Images Worldnow)

Como adaptar as atividades em sala de aula? Confira algumas dicas:

  • Primeiro passo: aproxime-se sempre do seu aluno. Muitas vezes eles nos dão pistas sobre o que fazer.
  • Vale ressaltar que a S.I. não tem nenhuma relação com a inteligência. As dificuldades explicitadas são extintas com o uso das transparências ou lentes específicas.
  • Motive o seu aluno o máximo que puder, pois, quando ele se sente acolhido e seguro, consegue driblar melhor algumas dificuldades. É muito comum que estas crianças tenham uma inteligência acima da média, já que precisam o tempo todo de um esforço muito maior que os demais para resolver situações-problema.
  • Cuidado com o contraste da folha e do texto (claro e escuro – preto no branco). Use o texto de cor escura em um fundo claro (não branco). Se você já souber qual é a cor de conforto da criança, utilize-a sempre, seja através da mudança de cor da folha, seja com o apoio das overlays.
  • Se a criança ainda não tem a overlay, as pastas plásticas coloridas, conhecidas como pasta em L no Brasil, também podem ser utilizadas na adaptação das atividades de leitura. Para a escrita, utilize as folhas de sulfite coloridas ou outro tipo de papel, também com alguma cor. Dê preferência a papéis mais espessos e foscos, para evitar que o outro lado fique transparente… nada de brilho!
  • Use e abuse das figuras para explicar novos conteúdos ou reforçar conteúdos antigos.
  • Evite palavras sublinhadas ou em itálico. O negrito é bem-vindo.
  • Aproveite as atividades que envolvam o pensamento e o raciocínio lógico, pois, em grande parte das vezes, crianças com S.I. possuem habilidades nesta área.
  • Utilize jogos como o quebra-cabeça e peças tridimensionais.
  • Explore a criatividade da criança.
  • É necessário, sempre, descobrir como o aluno aprende melhor (tendo ele S.I. ou não). Perceba como ele prefere aprender, se gosta de explorar, sentir, ouvir ou ver. Isso ajuda muito!
Exemplo do Ssoverlay em funcionamento (foto: Ssoverlay)

Exemplo do Ssoverlay em funcionamento (foto: Ssoverlay)

Utilize programas para o computador ou tablet como: Irlen Colored Overlays – para computadores e notebooks (tem um pequeno custo); Irlen Colored Overlay App – para Smartphone android e tablet (tem um pequeno custo); Color Overlay, ferramenta de sobreposição de cor que pode ser adicionada ao Google Chrome através do painel de administração do Google Apps (este recurso é gratuito e muito bom, utilizado apenas em ambiente web); Ssoverlay – semelhante ao Color Overlay, do Google, porém para ser utilizado no Windows. Bem interessante e gratuito.

Chegou a hora de fazer o portfólio das crianças! Mas como organizar todas as informações? Fazer o portfólio não se trata apenas de reunir todas as atividades e produções do aluno, é um trabalho cuidadoso que deve mostrar a trajetória detalhada da evolução das crianças em sala. Dependendo da escola, ele é analisado bimestral, trimestral ou semestralmente, para a avaliação formativa da criança.

Para ajudar você com essa tarefa criamos um ebook com informações valiosas para a criação, organização e avaliação.

Veja o exemplo e perceba como é fácil inserir as anotações individuais na Eduqa.me:

 

CLIQUE AQUI PARA TESTAR AGORA A PLATAFORMA EDUQA.ME

Texto: Luciana Fernandes Duque para a Eduqa.me. Luciana doutoranda em Educação Especial – Faculdade de Motricidade Humana pela Universidade de Lisboa – Portugal, Mestre em Educação – Distúrbios do Desenvolvimento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Psicopedagoga Clínica e Pedagoga com vasta experiência Educação Inclusiva. É autora de dois livros, um sobre inclusão escolar e outro sobre relação professor aluno. É responsável pela fanpage Luciana F Duque Psicopedagogia e Inclusão.

Leia mais:

Fundação Olhos

Irlen Conference Brazil (em português)

Irlen Institute (em inglês)

 

 

[/ms-protect-content]

 

O que o professor espera da coordenação?
Carreira/Formação/Materiais para Download/Rotina pedagógica
0 Comments

O que o professor espera da coordenação?

Ao assumir o posto, o coordenador logo percebe que é complicado lidar com as pessoas, respeitar as diferentes opiniões e sugerir mudanças sem ser mandão.
A Eduqa.me perguntou e os professores responderam: o que eles gostariam que seus coordenadores fizessem?

Confira dicas para melhorar 4 habilidades essenciais:

  • Comunicação: assuntos pessoais e amizades na escola,
  • Presença: o quanto o coordenador deve estar em sala de aula,
  • Reconhecimento: porque elogios fazem a diferença,
  • Inovação: você tem medo de aceitar novas ideias?
Assista ao vídeo e descubra como melhorar a comunicação entre educadores e melhorar o trabalho da escola!

O que o professor espera da coordenação?

Postado por Eduqa.me on Sábado, 18 de julho de 2015

Deixe sua opinião: como é na sua escola? Você concorda com o vídeo?
 Materiais para download - horizontal